Vamos falar sobre logística? - Lamb Construções e Engenharia

Vamos falar sobre logística?

A logística moderna é uma especialidade da administração responsável por prover os recursos e informações necessárias para a execução de todas as atividades de uma organização. Trata-se de uma especialidade da administração que aplica conhecimentos das áreas de engenharia, economia, contabilidade, tecnologia, recursos humanos, e todas as demais áreas integradas que contribuem para a minimização dos esforços de produção de bens e serviços.

 

Em campanhas militares, tem-se que logística tem sua origem como ciência em 1917, quando o Tem. Cel. Thorpe dos Fuzileiros Navais dos EUA publicou o livro “Logística Pura: A Ciência de preparação para a guerra” e colocou a logística no mesmo nível da estratégia e da tática, sendo que estas proporcionam o esquema das operações militares e a logística proporciona os meios.

Após os estudos de Thorpe e o uso intenso de estudos de logística pelos aliados na Segunda Guerra Mundial, os estudos e o conhecimento de logística transbordou para o uso civil e empresarial quando a logística passou a integrar o desenho das cadeias de produção de valor na indústria mundial.

Sendo então uma ciência e uma parte da cadeia de valor, a área de logística passou a ser um departamento das indústrias e/ou tais atividades foram terceirizadas para empresas especializadas que, operando dentro das próprias empresas ou em prédios próprios, ficaram responsáveis pela operação de abastecimento das linhas de produção ou distribuição de produtos acabados para os consumidores finais do que é produzido nestas mesmas linhas.

Nesta esteira, os armazéns para operação logística se modernizaram no Brasil a partir dos anos 2000 e inúmeras empresas se especializaram na construção e operação de tais edificações.

O senso comum e a observação empírica indicam que um Centro de Distribuição logística deve ter, no mínimo, as seguintes características para poder ser classificado como de Classe A:

Capacidade de carga do pavimento entre 5 e 6 t/m² com vistas a atender a uma grande variedade de tipos de carga e suportar o tráfego de empilhadeiras modernas;

Pé direito de 11 a 12 metros com vistas a aumentar a capacidade de armazenamento de carga em prateleiras;

Sprinklers para proteção contra incêndio de forma a permitir versatilidade de uso do armazém que passa a ter capacidade de receber a maioria dos tipos de carga;

Cobertura Termo-acústica para reduzir o ruído da chuva no interior do armazém e melhorar o microclima interno;

Niveladora de docas que permitam o acesso rápido de empilhadeiras no interior de caminhões, independente da altura da carroceria do caminhão;

Uma doca a cada 750 m² de armazém para minimizar a distância de transporte interno da carga desde o ponto de armazenamento até o caminhão.

Utilizando o método de contratação Design and Build (D&B), no qual tanto os serviços de projeto quanto os de construção foram executados pela construtora, a Lamb Construções atuou no desafiador projeto de instalação de um centro de distribuição da McLane do Brasil. O empreendimento somou 22.000 m² de área construída, na cidade de Resende, estado do Rio de Janeiro e visava atender a operação de um entreposto aduaneiro da zona franca de Manaus.

Para a concepção do projeto de arquitetura foram considerados os requisitos de um armazém Classe A, conforme enumerados acima e inúmeros outros requisitos do cliente e da operação, dentre eles:

– A segurança do edifício, que contava com eclusas com dispositivos dilacerador de pneus, central de vigilância em sala blindada, sistema de CFTV que retransmitia imagens para fora do site e sistemas de transmissão de dados através de fibra ótica redundante em forma de anel.

– A inexistência de água em volume suficiente através de abastecimento da concessionária pública, o que levou à utilização de poço artesiano somado ao tratamento e reuso de água da chuva captada no telhado do armazém;

– O tipo de equipamento de transporte interno utilizado pelo cliente, que por sua vez determinou a largura dos corredores do armazém, o tipo de prateleira, a modulação dos pilares do edifício e o sistema estrutural da cobertura.

– O número de posições pallets necessários para atender a operação e o tipo de carga a ser armazenada no local.

– A velocidade de carga e descarga definidas pelo cliente, que utilizava sistema de gerenciamento de armazéns genericamente denominado WMS, cuja operação definiu um número de docas de carga e descarga compatível com a velocidade de operação requerida.

Após realizado o projeto de arquitetura a construção da obra, a Lamb Construções realizou também a construção, que fazia parte do contrato D&B, concluindo o projeto em apenas 8 meses.

Em contraste com “design–bid–build” DBB (ou “projeto-orçamento-construção), o “design – build” depende de um único contrato de responsabilidade, e foi usado para minimizar riscos para o proprietário do projeto e reduzir o cronograma de entrega ao sobrepor o projeto com a construção de um edifício.